Entre com suas credênciais

Brasileirão série A


Brasileirão série B


Em entrevista, Rogério Ceni abre o jogo sobre sua demissão e cita Corinthians e Palmeiras

01/01/2018 - 13:00 - Futebol

por Flávio Figueiredo

Em entrevista com o ex-jogador Casagrande, no programa Esporte Espetacular, exibido no último domingo (31), o então técnico do Fortaleza, Rogério Ceni, abriu o jogo com alguns assuntos que não havia falado anteriormente. Ceni diz que sua demissão foi "totalmente desnecessária", relembrou o episódio da prancheta e ainda confessa se treinaria Corinthians ou Palmeiras. Quanto à sua demissão, Rogério diz que com a chegada de novos jogadores, a crescente era certa.

"Eu fico triste de ter sido mandado embora do clube que defendi. Foi desnecessária essa troca no meio do ano, totalmente desnecessária. Tanto que o Dorival, os testes que eu vi que não davam certo, ele teve de testar de novo. A virada, a subida era certa comigo, com o Dorival ou com outro que chegasse. Eu acho que demorou mais porque o período de 3 ou 4 semanas de pré temporada é o período que o Dorival precisou para dar a virada", comentou o ex-goleiro.

Rogério Ceni ressaltou que, sabendo que o clube não tinha dinheiro, estudou os jogadores da base para mesclar com alguns experientes do grupo mas... "Quando eu fui contratado eu fui avisar do que não tinha dinheiro. Eu passei 2 semanas em Cotia pra observar e aí encontrei Araruna, Militão, Junior Tavares. Aí chegou falando que ia vender Neres e Araújo, se for vender não precisa mais de mim como treinador. Quando tirou o Thiago Mendes, tirou toda a velocidade, quando tira isso, aí fica difícil", analisou. 

Quanto ao episódio da prancheta, que o treinador teria jogado e acertado o meia Cícero, Ceni explicou: "Eu entrei naquele dia nervoso no vestiário, porque tomamos o segundo gol de contra ataque. A história da prancheta que todo mundo fala: eu dei um bico no quadro e um pedaço foi na direção do Cícero e ele pegou a prancheta. Foi o único momento que fiquei nervoso. Aquele dia eu perguntei se o Rodrigo (Caio) sabia que o Jô tinha cartão amarelo e ele disse que não, o árbitro entendeu que era passível de cartão amarelo o lance e eu quando vi, também", relembrou.

Questionado se treinaria outra equipe paulista, o ídolo do São Paulo reafirmou a identificação que tem com o clube e admitiu que deve seguir trabalhando longe dos arquirrivais do Tricolor.

"Acho muito difícil eu treinar Palmeiras ou Corinthians. Mesmo para frente, a história está escrita de uma maneira tão bacana, a identificação. E também acho que ninguém lá nesses clubes ia querer me contratar, imagina eu entrando no CT deles. Eu tenho muito carinho pelo São Paulo, independente do que tenha acontecido", afirmou o treinador.

O ex-goleiro recordou ainda o dia e forma de sua demissão: "Foi uma conversa de 3 minutos depois do jogo do Flamengo o presidente me chamou e disse que queria mudar o trabalho. Eu agradeci a oportunidade, perguntei se era só isso. Eu trabalhei 27 anos no São Paulo e 27 semanas como treinador".

# Aposte nas melhores equipes do mundo acessando a .

 

Leia Mais:

Atacante do São Paulo está perto de ser anunciado pelo Atlético-PR

Lugano recebe proposta inusitada de clube tradicional

 

tabela

Campeonato Brasileiro Série A

Classificação Pontos
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36

VEJA A TABELA COMPLETA

prognósticos

1 CEA x STA

ver dica

Confiança

85%
2 ABC x VIT

ver dica

Confiança

75%
3 BRA x PAN

ver dica

Confiança

90%

VEJA MAIS PROGNÓSTICOS

Bolão Rodada 11

RANKING

1 André ***

0,00

2 Renato ***

0,00

3 Alessandro ***

0,00

4 Ale ***

0,00

5 Yudi ***

0,00

VEJA O RAKNING COMPLETO


Mais Esportes