Entre com suas credênciais

Brasileirão série A


Brasileirão série B


Munhoz se diz frustrado e pede transparência nas decisões dos jurados

06/03/2018 - 16:48 - MMA

por Flávio Figueiredo

Com a derrota para John Dodson, no UFC 22, em Las Vegas, o brasileiro Pedro Munhoz perdeu sua boa sequência de quatro vitórias seguidas. A derrota, do jeito que foi, não agradou o brasileiro que ainda reclama da decisão. Com uma derrota por 2 a 1 (28-29, 30-27 e 29-28) ele afirma que foi melhor que seu adversário e teve uma luta mais contundente. 

O brasileiro deu entrevista ao website Combate.com e não poupou críticas aos jurados que deram a vitória à Dodson.

"No primeiro round eu estava querendo sentir a força dele, seu poder de impacto. Percebi que ele era mais velocidade do que força. No segundo e no terceiro, botei agressividade nos chutes e nos golpes, chutei a cara dele. Estava claro para a gente que ganhamos (o segundo round), o primeiro round a gente não sabia. Ele deu aqueles golpes pouco contundentes, sempre indo para trás, trabalhando nas laterais, e eu caçando aluta inteira. A decisão foi frustrante. (...) Olhei as estatíticas, foram cento e tantos golpes para cada lado, números parecidos. De chutes, foram 25 a 3, mais de 13 minutos de controle de cage em uma luta de 15. Ele tentou sobreviver, pontuou e andou pra trás. O cara que ganha é quem pontua? Quem tem mais agressividade e controla o cage perde? É complicado. O chute que ele falou que foi no saco foi próximo da bexiga, no estômago. Acho que jogou um agá. Deixar a luta para os juízes é uma bosta. Tento sempre finalizar ou nocautear. Venci o segundo e o terceiro, o primeiro round poderia ter ido para qualquer um, foi 50%. Fui mais efetivo. Ele acertava golpes, mas não era contundente".

O brasileiro pede que os jurados "não se escondam" e tenham uma atitude como o árbitro central, de aparecerem e assumirem suas notas.

"Teve um jurado que deu os três rounds para o Dodson, 30 a 27. Que luta esse cara viu? A gente deveria saber mais sobre os juízes laterais e suas ideias de pontuação. O árbitro central vai no vestiário conversar com a gente, e os laterais a gente nem imagina quem são. Qual a experiência que tem no MMA? Como eles veem a luta no poder de julgamento? Contundência? Agressividade? Passividade? Até um leigo viu que fui 100% o agressor da luta. Deveria ter uma reunião com eles dias antes para ver qual a experiência que tem para fazer uma leitura de luta de MMA".

Para o futuro, o brasileiro diz que ainda não pensou em um adversário mas garante que uma revanche contra Dodson está fora de questão.

"Vou querer revanche para ele ficar correndo pra lá e pra cá? Vai para uma pista de corrida, vai correr os 100 metros. Revanche pra quê? Ele não vai cair para dentro. Do primeiro ao 15º do ranking da categoria ele é o único que não cai para dentro, é cheio de catimba. É muito rápido, ganhou de caras bons, mas tudo dessa maneira. Ele já correu da luta em Belém por causa de 1,2kg, agora correu nos três rounds. Perdi a luta no papel, no valor, mas quem viu a luta sabe que botei meu coração e dei tudo de mim, que é o que mais conta para os caras do UFC".

 

Leia Mais:

Veja quanto faturou Cris Cyborg e os outros lutadores do UFC 222

Yorder prega humildade para pegar Mackenzie Dern no UFC 222

 

tabela

Campeonato Brasileiro Série A

Classificação Pontos
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36
1 TIM 2 36

VEJA A TABELA COMPLETA

prognósticos

1 SAN x AME

ver dica

Confiança

85%
2 CHA x GRE

ver dica

Confiança

85%
3 FLA x SPO

ver dica

Confiança

85%

VEJA MAIS PROGNÓSTICOS

Bolão Semana 32

RANKING

1 Jair ***

781,00

2 Claudio ***

580,00

3 Paulo Vieira da Silva ***

335,00

4 Thales ***

120,00

5 walter ***

0,00

VEJA O RAKNING COMPLETO


Mais Esportes