terça-feira, dezembro 6, 2022

Tragédia em jogo de futebol na Indonésia deixa 174 pessoas mortas

Jogos
Luiz Vinicius
Luiz Vinicius
Natural de Magé (RJ), Luiz Costa é empreendedor, criador de conteúdo sobre apostas e Apostador Profissional a mais de 4 anos. Foi finalista do programa MASTERBET na rede Bandeirantes e é redator em alguns sites de apostas Esportivas.

Uma confusão generalizada num jogo de futebol indonésio deixou 174 pessoas mortas na província de Java Oriental, de acordo com a Associated Press. A partida aconteceu no domingo (02) no Estádio Kanjuruhan.

Várias brigas entre torcedores rivais ocorreram dentro do estádio quando Peresbaya Surabaya enfrentou o adversário Arema Malang, torcedores foram vistos jogando garrafas e objetos em jogadores e dirigentes. A polícia utilizou gás lacrimogêneo para tentar dispersar a torcida, o que gerou pânico na multidão, segundo o relatório divulgado.

Momentos de pânico

O tumulto começou dentro do estádio após invasão no campo, a partir desse momento0 e com a ação da polícia, centenas de torcedores correram em direção à saída, mas encontraram alguns portões fechados segundo relatos, com isso muitos foram pisoteados e outros sufocados, infelizmente a maioria das mortes ocorreu por pisoteamento. 

“Fizemos uma ação preventiva antes de finalmente disparar o gás lacrimogêneo quando começaram a atacar a polícia, agindo de forma anárquica e queimando veículos.” Disse o chefe da polícia de Java Oriental, Nico Afinta, em entrevista coletiva no domingo. 

Mais de 300 pessoas foram levadas às pressas para hospitais para tratar de ferimentos, muitas outras morreram no caminho e durante o tratamento médico, mais de 100 continuam feridos no hospital. A liga suspendeu os jogos por uma semana como resultado, enquanto uma investigação foi iniciada pela associação de futebol do país. 

“Lamento profundamente esta tragédia e espero que esta seja a última tragédia do futebol neste país. Não deixe que outra tragédia humana como essa aconteça no futuro.” Disse Joko Widodo, presidente da Indonésia, à ESPN.

Relato de brasileiros

O goleiro brasileiro Maringá, de 32 anos e com passagens por Gama e Mogi Mirim e agora defende o clube Arema da Indonésia, falou sobre os momentos de angústia que viveu no local.

“A gente não sabia de nada, ficou no vestiário por cinco ou seis horas. Só se ouviam gritos, barulho de bomba e ninguém sabia informar nada. A gente temia muito pela vida dentro do vestiário. A gente pensava: ‘Vão invadir aqui e matar todos que estão aqui dentro’.” Falou o goleiro diante do ocorrido.

Outro atleta, Silva Júnior, também relatou sua experiência aterrorizante nos momentos após a partida.

“No vestiário, comemoramos a vitória, mas a polícia veio e disse: ‘Não, não… corre, senão a gente não sai’. Aí já começamos a trocar de roupa todo mundo rápido, sem tomar banho mesmo e a polícia nos apressando. Aquela correria, loucura… aí conseguimos sair correndo, entrar no blindado e ficar esperando.” Contou em entrevista.

Uma das piores da história do futebol mundial

O número de mortos nessa tragédia só é menor ao da que ocorreu em Lima no ano de 1964. Foram cerca de 320 e outros mil feridos durante uma partida entre Peru e Argentina, num torneio pré-olímpico.

A dimensão do ocorrido na Indonésia só será conhecida após novas informações das autoridades e dos hospitais, mas certamente é um dos episódios mais tristes do futebol mundial. 

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -
Últimas Noticias

Quatro pilotos brigam pelo título na última etapa da Stock Car

O último fim de semana de Stock Car em 2022 começa nesta sexta-feira (9) cercado de muita emoção. Afinal,...
- Advertisement -

Mais notícias como essa

- Advertisement -