test
segunda-feira, junho 24, 2024

Santos é condenado pelo STJD 

Jogos
Luiz Vinicius
Luiz Vinicius
Natural de Magé (RJ), Luiz Costa é empreendedor, criador de conteúdo sobre apostas e Apostador Profissional a mais de 4 anos. Foi finalista do programa MASTERBET na rede Bandeirantes e é redator em alguns sites de apostas Esportivas.

O Santos Futebol Clube enfrenta uma dura punição após os incidentes ocorridos no clássico contra o Corinthians. A equipe está condenada a oito jogos de perda de mando de campo e terá que jogar com portões fechados. Além disso, acabou sendo imposta uma multa de R$ 80 mil ao clube.  

Decisão do STJD 

Essa decisão da 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) tem causado grande repercussão no mundo do futebol. 

No entendimento dos julgadores, o Santos já cumpriu uma partida de punição na partida contra o Flamengo, pela 11ª rodada do Brasileirão. No entanto, a equipe não terá tempo hábil para alterar o local do próximo confronto contra o Goiás, que será mantido na Vila Belmiro. Os jogos contra Botafogo, Athletico-PR, Grêmio, Cruzeiro, Vasco da Gama e Red Bull Bragantino serão disputados a 150 km de distância de seu estádio. 

Condenação 

A condenação do Santos baseou-se nos parágrafos I e III do artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que tratam de “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto” e “lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo”, respectivamente. 

O relator do caso, Eduardo Mello, explicou que a perda de mando de campo acabou sendo solicitada após relatos de possíveis manifestações da torcida do Santos durante a partida contra o Flamengo, quando já havia uma determinação do STJD para a suspensão da presença de torcedores nas arquibancadas da Vila Belmiro.  

Punições mais severas 

O voto do relator foi acompanhado pelo auditor João Gabriel Maffei e pelo presidente da 5ª Comissão Disciplinar do STJD, Otacílio Soares de Araújo Neto. O presidente ressaltou a necessidade de punições severas para pôr um fim a esse tipo de comportamento por parte das torcidas. Segundo ele, a situação chegou a um ponto crítico em que só será interrompida quando houver consequências graves, como a perda de vidas. 

Alguns auditores defenderam que o Santos fosse condenado apenas a jogar com portões fechados em seis partidas, já que a intenção não era punir o clube, mas sim a torcida. Alegaram também que o Santos já sofreria prejuízos com essa decisão. No entanto, a maioria dos votos decidiu pela punição de oito jogos de perda de mando de campo e portões fechados. 

Inicialmente, o presidente da 5ª Comissão Disciplinar do STJD havia determinado que a punição seria apenas com portões fechados, devido às dificuldades da Polícia Militar de São Paulo em garantir a segurança em estádios com estrutura menor que a Vila Belmiro. Contudo, após contestações do advogado Marcelo Mendes, representante do Santos, sobre a contagem dos votos, decidiu-se seguir integralmente o voto do relator para evitar mais discussões. 

Opiniões divergentes 

Essa decisão do STJD tem gerado debate e opiniões divergentes no meio esportivo. Enquanto alguns acreditam que a punição é justa e necessária para coibir a violência e os atos de vandalismo nos estádios, outros argumentam que o Santos está sendo penalizado de forma desproporcional, prejudicando o clube e seus torcedores. 

O Santos já informou que irá recorrer da decisão, buscando reverter ou diminuir a pena imposta. Resta aguardar as próximas etapas desse processo e acompanhar de perto como o clube enfrentará esse desafio. Enquanto isso, os torcedores santistas terão que se conformar em assistir aos jogos de seu time de coração pela televisão, sem a emoção de estar presente no estádio. 

- Advertisement -
- Advertisement -
Últimas Noticias

Athletico Paranaense toma de novo gol nos acréscimos e empata com o Corinthians

O torcedor do Furacão está com a cabeça quente. De novo, pela terceira vez seguida, o Athletico Paranaense levou...
- Advertisement -

Mais notícias como essa

- Advertisement -